Um pouco sobre Iaidô

O Iaidô tem as mesmas raízes do Kendô, com a peculiar diferença de que sua ‘origem’ é atribuída a uma pessoa, Hayashizaki Jinsuke Minamoto no Shigenobu, nascido em 1549.
 
Resumidamente, diz a história [1] que, antes de completar 20 anos, Hayashizaki teve seu pai morto em duelo, e que para  preparar-se para vingá-lo, retirou-se por 100 dias no templo shintoísta Hayashizaki (origem de seu nome), e que neste local recebeu a inspiração para a criação de uma técnica de manejo de espada (katana), Hayashizaki-Ryu, que é considerada a origem do Iaidô.
 
De forma bem simplificada, pode-se dizer que a prática do Iaidô é composta por uma série de movimentos com a espada onde o praticante enfrenta inimigos imaginários, em diferentes situações de combate.
 
Filosoficamente, o objetivo do Iaidô, da mesma forma que o do Kendô, é moldar mente, corpo e espírito por meio do treinamento correto no manejo da espada.
 
Ao longo dos séculos, foram criadas inúmeras escolas de Iaidô. Os dois troncos principais são chamados: Muso Shinden Ryu e Muso Jikiden Eishin Ryu.
 
Atualmente, a forma básica do Iaidô, Seitei-Iai, estabelecida pela All Japan Kendo Federation – AJK, é composta por 12 movimentos, padronizados para efeito de exames de graduação. 
 
Os estilos das escolas tradicionais de Iaidô, genericamente denominas Ko-Ryu (estilos antigos) continuam sendo praticados juntamente com o Seitie-Iai.
 
A história do Iaidô no Brasil segue uma trajetória paralela à história do Kendô. Porém, a chegada de dois senseis do Japão no Brasil, primeiramente, Asahi Sensei, em meados da década de 1970, e posteriormente, Nakakura Sensei, é considerada um ‘marco’ do início da era moderna do Iaidô no Brasil.
 
Muitos dos Senseis de Iaidô contemporâneos, incluindo Tamaki Tadachi Sensei (atual presidente da Confederação Sul-americana de Kendo- CSK e fundador da Confederação Brasileira de Kendo - CBK) e Kimura Mitsuo Sensei (que praticou, com vigor invejável, tanto Iaidô quanto Kendô até falecer em Junho/2008, com mais de 90 anos), começaram a praticar Iaidô sob a orientação dos Senseis Asahi e Nakakura. Este último realizou o primeiro exame de graduação de Iaidô no Brasil.
 
Paralelamente, desde os primórdios da imigração japonesa, destacaram-se as práticas dos estilos Koryu, em particular, o Shinto Ryu Iaido e Iai Battojutsu, representadas principalmente na figura do Sensei Masatoshi Mitsugui Yoshimatsu.
 
Mais recentemente, dois eventos contribuíram para a expansão do Iaidô no Brasil.
 
O primeiro foi o início das visitas anuais, organizadas pela CBK (a partir do final da década de 1990) de senseis japoneses ao Brasil, destacando-se entre eles, Ito Tomoharu Sensei, 8º Dan Kyoshi de Kendô e Iaidô, que desde então já esteve no Brasil diversas vezes, para ministrar treinamentos e participar de bancas examinadoras.
 
O segundo foi a chegada, em 2003, de outro sensei japonês, Tsutsumi Toshihiko, 6º Dan de Iaidô e 5º Dan de Kendô. Tsutsumi Sensei é tido como o mais jovem praticante a ter recebido essa graduação (6º Dan de Iaidô  com 35 anos de idade). Foi aluno de um dos três últimos 9º Dan. Seu Sensei foi aluno direto de Nakayama Hakudo Sensei(1873-1958), fundador do estilo Shinden Ryu Iai.
 
Atualmente, o Iaidô é praticado por centenas de Iaidokas no Brasil todo, em academias que oferecem treinos regulares de Seitei Iaidô, seguindo as normas da FIK (Federação Internacional de Kendo), sob a supervisão da FPK (Federação Paulista de Kendo) e CBK.
 
O último exame de graduação de Iaidô realizado no Brasil ocorreu em julho de 2008, quando fizeram parte da banca examinadora os senseis: Tamaki Tadachi, Ito Tomoharu e Tsutsumi Toshihiko.
 
 
[1]. HABERSETZER, R., LOBO, J., SANTORO R. – Découvrir et Pratiquer le Iaidô – Paris/França, Editeur Amphora, 1996.

Institucional
Introducao Historia
1 2 3 4 5 7 Contato VerMapa