Equipamento

Como já mencionamos, durante o Período de Edo, por volta de 1750, os treinamentos de Kendô passaram a serem feitos com equipamentos protetores e espadas de bambu, precursores dos atuais bogu e shinai.

Vestuário

Keiko-gui: kimono semelhante ao usado no karate. Em geral é feita de tecido de algodão reforçado nas cores branca, azul marinho ou preta.

Hakama: saia calça com pregas. Em geral é feita de tecido de algodão nas cores branca, azul marinho ou preta.

Bogu: armadura composta por quatro peças vestidas sobre o Keiko-gui e o Hakama.

Mem: espécie de elmo que protege a cabeça, cuja parte frontal exibe uma grade de metal, presa a uma parte posterior feita de couro e tecido reforçado por costuras.

: protetor do tronco feito de bambu ou resina plástica.

Kotê: luvas feitas de tecido reforçado por costuras e couro.

Tare: espécie de avental feito de tecido reforçado por costuras.

Instrumental

Shinai: espada feita de bambu ou material sintético (fibra de carbono), deve medir de 114 cm a 120 cm e pesar de 400 g a 510 g, de acordo com a categoria.

A etiqueta do Kendô recomenda que o Kendôka, ou kenshi, cuide da manutenção de seu vestuário, bogu e shinai, mantendo-os sempre impecavelmente limpos e em ordem. O Kendôka deve estender este hábito para o seu dia-a-dia e vida profissional, tomando o mesmo cuidado com suas roupas e seus instrumentos de trabalho.

O Combate

A luta é realizada em uma área quadrada ou retangular, cujas laterais podem ter de 9 a 11 metros.

Início do combate:

Inicialmente, os oponentes se posicionam a uma distância de nove passos, com o Shinai empunhado na mão esquerda, com os braços estendidos para baixo, e se cumprimentam com uma reverência mútua (Otagai no rei).

Em seguida, elevam a mão esquerda para a altura da cintura, indicando início de posição de combate, e avançam três passos. No final portanto, ficam a uma distância de três passos. Neste ponto, com a coluna ereta, agacham-se dobrando os joelhos. Simultaneamente, desembainham o shinai com a mão direita, segurando-o, logo em seguida, com as duas mãos para frente, de forma que as pontas dos shinais fiquem próximas (posição de Sonkyo). Só então, ambos ficam de pé, agora, em posição básica de guarda, e iniciam a luta.

 

Posição básica de guarda:

O pé direito está posicionado a frente do pé esquerdo (o dedão do pé esquerdo deve estar na altura do calcanhar direito). Os pés devem estar paralelos e apontando para frente. A mão esquerda deve segurar a ponta do Shinai na altura do umbigo e a mão direita deve estar próxima a guarda (Tsuba).

Pontos alvos para os golpes:

Mem: a cabeça (no alto da máscara).

Kotê: o antebraço direito coberto pelo Kotê (eventualmente, o esquerdo).

: o tronco (lado direito ou esquerdo do protetor Dô).

Tsuki: o pescoço (no protetor de garganta).

Golpe Válido (Yuuko-datotsu):

O golpe só é válido se, além de atingir um dos pontos alvos, contiver os três elementos simultaneamente:

Ki 気: ou Kiai , grito (brado) de demonstração de energia.

Ken 剣: correto golpe com a espada.

Tai 体: golpe dado com o corpo como um todo.

Por se tratar de uma luta, os adversários devem obviamente mostrar combatividade. No entanto, a etiqueta do Kendô recomenda algo mais. É necessário, demonstrar também o máximo respeito ao oponente. Em japonês, a palavra AITE significa adversário e parceiro, pois o adversário é parceiro. Sem ele, não teríamos a oportunidade de lutar e de progredir, razão pela qual ele deve ser respeitado. Novamente, levando este conceito para o dia-a-dia, devemos respeitar todos, colaboradores e concorrentes, pois todos são importantes para nosso crescimento.

Luta competitiva:

Quadra: a luta entre dois adversários é realizada dentro de uma área quadrada ou retangular, cujas laterais podem ter de 9 a 11 metros.

Arbitragem: a luta é acompanhada por três árbitros, um principal e dois auxiliares.

Contagem e Tempo: em geral, as lutas são de dois pontos em:

O Treinamento

O treinamento básico ensinado para os iniciantes é chamado de Kihon.

São exercícios de movimentos repetitivos, cujo objetivo é moldar os movimentos básicos: sos pés, pois pode não parecer óbvio, mas para a execução correta do golpe, a movimentação dos pés é mais importante que a dos braços; do corpo, pois o quadril é o centro de massa que dá equilíbrio ao corpo e potência ao golpe; dos punhos, antebraços e braços, para o balanço do shinai. Além disso, os exercícios de Kihon visam formar as noções de distância e tempo em relação ao adversário. Esta noção espacial é denominada Maai.

Exemplos de exercícios de Kihon:

Ashi Sabaki: todo exercício voltado para movimentação dos pés.

Suburi: movimento repetitivo de ida e volta do shinaicomo se estivesse golpeando o Men do adversário.

 Kirikaeshi: nove (quatro para frente e cinco para trás) movimentos de ida e volta do shinaicomo se estivesse golpeando o Men do adversário alternadamente no lado direito e esquerdo.

Apesar de serem aplicados para os iniciantes, os exercícios de Kihon devem ser sempre praticados pelos Kendocas ao longo de toda sua vida.

Exercícios mais sofisticados, que treinam técnicas especiais de ataque e defesa são chamados de Waza.

Exemplos de exercícios de Waza:

Suriague-waza: contragolpe executado rebatendo o shinai do adversário.

Nuki-waza: contragolpe executado desviando-se do shinai do adversário.

O treinamento de Kendô começa e termina com uma reverência ao dojo. No início, se pede permissão para treinar, e proteção para que ninguém se machuque durante o treinamento. No final, a reverência serve para agradecer duplamente pelo uso do local e pela proteção recebida.

Mais uma vez, no nosso cotidiano, é evidente, a analogia com relação a ter respeito pela nossa casa, pelo nosso local de estudo ou trabalho.

Institucional
Introducao Historia
Contato VerMapa